Inferno de vida

A gente num pede pra nascer e tem que acordar cedo sair das cobertas e trabalhar, eu queria tanto morrer, assim eu num saia de debaixo da terra, ficava lá no escuro fazendo novelinha, eu odeio essa dimensão onde só os outros tem razão, se eu achasse chumbinho de verdade pra tomar eu ficava bem, mortinha da silva sauro, estou me despedindo das coisas, não estou habituada a levar uma vida normal, só não sei até quando isso vai durar, estou cansada e angustiada, só sei que tenho que trabalhar, pra enche minha barriga até um dia que a morte chegar pra mim tomara, quero apagar. Se a vida for eterna eu me mato no mundo astral também.
Acho que todo dia eu vou pro matadouro, mas não é aquele que eu morro coisa e tal e sim aquele onde a escravidão eterna me aguarda, os tem que...

Postagens mais visitadas deste blog

Bora mais um dia

Meu sonho dessa noite