sexta-feira, 17 de maio de 2013

Contagem para morte

As vezes eu sinto umas palpitações a noite quando estou deitada, me dá falta de ar e meu coração sobe pela boca e fica batendo no cérebro, gostaria que fosse a morte, mas não é, sou imortal, vou passar dessa para o mundo astral e virar luz, não desejo reencarnar, aliás não queria ser imortal mas sou, estou contando os minutos de vida nesse corpo, faltam: 000,9 minutos de vida para meu cérebro parar de funcionar porque tenho disritimia atomica e preguiça  colossal, na verdade meu cérebro pode parar de funcionar antes desse tempo e já me vejo fora do corpo, olhando as coisas e flutuando, mas vou contar uma grande verdade que ninguém quer enchergar, as pessoas morrem e não voltam e tudo se apaga, não tem depois, só o que resta é uma contagem de um segundo para cada instante, nesse momento não tem nada me ameaçando, mas meu peito doi, é meu coração cheio de gordura que reclama do espaço apertado, a qualquer momento vou morrer e espero anciosa por isso.
Os médicos falam que essa dor é angústia, mas vou morrer e mostrar a eles que isso é um ataque do coração

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O mistério da felicidade

Na verdade a felicidade não é  tão difícil de se conquistar, o problema é que sempre colocamos ela em algumas coisas e situações que precisam acontecer,para ser feliz," coisas que vem de fora são passageiras", assim diz meu pairetto e o Lungui que também é meu pai.
Faz tempo que eu não encontro tempo de fazer novelinha, mas é porque eu estou trabalhando e minha expectativa para esse novo emprego é que dê certo porque feliz eu já sou, só um pouco cansada porque meu corpo dói, mas sou feliz, os contratempos são passageiros e no final tudo se arranja, o grande mistério é que com o meu pairetto, descobri a eternidade e meus amigos imaginários que ultimamente quase não nos falamos por causa da falta de tempo, procuro ser feliz mesmo sem novelinha, distraindo-me com as coisas que faço.
Basta prospectar como é imenso o universo, o planeta e a eternidade para transformar muitas coisas aqui em miudeza, claro que eu gostaria que tudo fosse ideal, mas infelismente existem coisas feias, só que eu não vivo das coisas feias ou das coisas bonitas, nem dos elogios ou das críticas, eu vivo atravez de mim e assim eu sou feliz, um dia  de cada vez até que a morte me separe de mim e eu vá pro mundo astral conhecer meus amigos espirituais: "Lungui","Laughter""Chuva" e "Murfi", dai eu reencarno como gata de madame e vivo em cima de uma almofada de algodão egipcio, do contrario vou lutar enquanto continuar vivendo.
Preciso mesmo ser feliz a cada instante e o mistério está em fazer cara de paisagem pra muita coisa que nem vou listar, estou bem lúcida, consigo fazer o que gosto que é trabalhar, escrever e fazer compras, mas olho o sentido da imensidão da vida e sua variedade, riqueza e abundância, tudo foi feito para mim usufruir e a chave está em mim, tenho tudo o que preciso aqui dentro na casa do Lungui(meu interior), o que vier é lucro e será passageiro pois tudo passa, quero ser filha do Gasparetto na próxima encarnação!

O mistério da felicidade

Sempre cavalgaremos ao por do sol no horizonte azul da eternidade e cada passo, atitude ou omissão farão do nosso futuro aquilo de que sonhamos como ideal, na verdade ele sempre existiu e sempre existirá, basta prospectar o tamanho do universo e a natureza da vida e tudo aqui nomundo material se torna maya, pois é um sentido violeta, quando eu sentir maya é porque é violeta a cor da minha áurea.
A felicidade está no desapego das coisas e pessoas, pois na tragetória só existe um caminho, o sentido azul que também é uma cor áurea, mas deixa isso para outra ocasião, porque a vida é eterna.
Na próxima encarnação, quero ser filha do Gasparetto